Elogio da leitura

Na semana de 2 de Julho, vários escritores falam da leitura e de alguns livros.
Um elogio da leitura e ofertas de livros, que tal?
Vejam aqui, Rádio Renascença




Para ouvir, são 2 minutos e pouco, podem fazê-lo aqui, na imagem do romance.
Falo do livro "De Nome, Esperança" e do novo livro dos 7 irmãos

EC.ON - curso online





Esta está a ser das experiências mais gratificantes em formação que já tive! Eu, que receei a falta de contacto directo, estou a adorar o estreito contacto personalizado, atento, intenso deste curso... 




(13) Escrever para crianças - Margarida Fonseca Santos - 11 semanas

Bloco 1 – O público-alvo e as particularidades da escrita para crianças. Exemplos e primeiros exercícios.
Bloco 2 – A diferença entre simplicidade e texto simplista; escrita de diálogos
Bloco 3 – A polémica moralidade – mostrar, em vez de contar uma única verdade; metáfora
Bloco 4 – A caracterização da personagem; tempo físico e tempo psicológico
Bloco 5 – A poesia e a lengalenga
Bloco 6 – O narrador da história – narração omnisciente ou subjectiva
Bloco 7 – Objectos e animais nas histórias
Bloco 8 – Quando a história se cruza com o conhecimento
Bloco 9 – A narrativa cronológica e a anacrónica
Bloco 10 – O medo, morte e o mundo proibido
Bloco 11 – O conto acabado – rever e melhorar




Tocar histórias na orquestra!


Tocar Histórias na OrquestraAteliê orientado por Margarida Fonseca Santos e Carlos Garcia

16 a 20 de julho na Sede da Metropolitana
Inscrições abertas 
das 10h às 17h30, concerto na sexta dia 20, às 18h30

Quem disse que uma orquestra não conta histórias?
Conta, e conta muito bem!

Vem passar uma semana connosco. Prometemos-te um espaço para criares histórias, músicas para as histórias, histórias para as músicas, adereços, figurinos e um momento para representares tudo isto… E como? É assim: vamos trabalhar o texto, a música, os enredos, as personagens, a forma de as apresentar. O resultado final será um concerto onde mostraremos o que produzimos em cinco quadros diferentes, cinco momentos em que tudo, desde a primeira palavra à última nota, saiu deste grupo. Em cada um destes quadros podes ter feito os fatos, ou estarás a tocar na orquestra, ou então a representar, ou mesmo a fazer efeitos sonoros!

Quer seja a primeira vez que participas ou quer já tenhas feito parte da primeira edição, o desafio está lançado. Há novas histórias para descobrir!

Destinatários:Crianças dos 7 (2.º ano de escolaridade completo) aos 11 anos de idade com o mínimo de dois anos de aprendizagem de instrumento (violino, viola, violoncelo, contrabaixo, flauta transversal, oboé, clarinete, fagote, trompete, trompa, trombone, tuba, percussão). 
Inscrições

Petzet no verão...

É verdade - uma campanha de verão para levar Petzet a outra dimensão...
Esta é, e sempre será, calculo, a minha história - minha no sentido de ser a que mais me toca no assunto, na abordagem, na magia, na verdade. E porque me tem trazido, ano após ano, amigos que o vão ser para sempre.
Querem saber como?
É só ir por aqui: Trinta por uma Linha


Agradecer a grandes professores












Jornal de Letras, Suplemento de Educação - Os Meus Professores

"Confesso que fico mesmo contente de poder escrever sobre professores que me marcaram. Podia falar daqueles que o fizeram no mau sentido, mas não vale a pena. Sempre que os via pôr em prática uma calamidade pedagógica, e tive essa consciência desde muito cedo, guardava a mensagem: ora aí está uma coisa que nunca vou fazer a aluno meu! Espero ter conseguido manter essa promessa ao longo dos anos.
Posso começar pela minha professora das 3ª e 4ª classes, a Miss Mª Eugénia Sequeira, no Colégio Princesa Ana. Como era um colégio com raízes inglesas, todas as professoras eram misses, e nós achávamos isto normalíssimo. Lembro-me de muitas coisas, apesar de já terem passado 42 anos! Quem era então esta mulher?
Era uma Educadora, sem dúvida. Foi ela que nos explicou a razão se ser das cópias, por exemplo. Dizia-nos que isso permitia escrever cada vez melhor, memorizando bons exemplos de pontuação e ortografia, de imagens, de cuidado na escrita. Estava cheia de razão, e às vezes penso que esta tarefa faz falta nos dias de hoje. Outro desafio era este: todos os ditados (que fazíamos diariamente e com um prazer enorme) continham uma ou duas palavras que não conhecíamos. Isso assustava-nos? Nada! Esta professora genial ensinava-nos a adivinhar a grafia, relacionando com outras palavras conhecidas, ou pensando na origem da palavra, ou até fazendo raciocínios (que ainda hoje faço) do género “tanto o seguido, não deve ser, um deles é um u, deve ser este”. E realmente dávamos pouquíssimos erros.
Outra faceta deslumbrante e que resultava como mais um jogo, era a sua forma de nos pôr a raciocinar. O cálculo e a resolução de problemas era sempre uma brincadeira, procurando rasteiras e rindo ao descobri-las, fazendo de cabeça um cálculo por alto, para depois aferir se o resultado era o pretendido. Uma professora que nos ensinou a ser autónomas no raciocínio e na execução, que nos habituou a ver para lá do óbvio. Aqui relembro igualmente a professora de Matemática do Secundário, Ondina Santos, pois agia do mesmo modo, o que me fez adorar para sempre esta disciplina. Empurrava-nos para a descoberta, como se fôssemos Indiana Jones do raciocínio, o que era fascinante!
A parte de que guardo a melhor recordação é, sem dúvida a forma como estas duas mulheres nos criticavam. Hoje em dia, talvez pudéssemos dizer que haviam aprendido com Helena Marujo e Luís Miguel Neto, por exemplo. Comentavam cada tarefa feita na perfeição com tanta alegria como a que nós sentíamos, e cada desaire com uma frase de esperança que nos assegurava: hoje não foi tão bem, mas amanhã será melhor. E resultava, claro. Assim aprendemos a transitoriedade do erro. Não falhávamos como pessoas, apenas falhávamos a tarefa, e isso demonstra a enorme sabedoria destas professoras. Motivavam-nos para a competição intrínseca – a vontade de hoje ser capaz de fazer melhor do que ontem, e a aceitação do erro como forma de aprender sem sermos derrubados. Isto fez-nos crescer como pessoas mais equilibradas e preparadas para a vida. A esta duas mulheres, deixo um enorme obrigada."