Escolas em Maio

Aqui estão as escolas do mês de Maio...

dia 4 (manhã) - Esc. Sec. São João da Talha
dia 5 (manhã) - Jardim escola João de Deus, Torres Vedras
dia 11 - Eb 23 Vila Nova de Tazem
dia 12 - Agrupamento de Escolas de Canas de Senhorim
dia 18 - Esc. Sec. c/ 3º ciclo de Ourém, Ourém
dia 19 - Agrupamento de Escolas de Pataias, Leiria
dia 20 - EB 23 Viana do Castelo
dia 25 (manhã) - Esc. Sec. c/ 3º ciclo da Portela
dia 25 (tarde) - EB 23 Bartolomeu Dias, Loures
dia 27 (manhã) - Instituto Espanhol, Lisboa
dia 28 - Escola Básica 1/JI dos Templários - Tomar (Agrupamento de Escolas Santa Iria).

Feira do Livro - Lisboa

Aqui ficam os dias em que estarei na Feira do Livro de Lisboa

1 de Maio - 17h - Pavilhão da Leya
.
2 de Maio - 17h - Editorial Presença
.
9 de Maio - 11h30 - Apresentação da Colecção Gramofone (Texto Ed.)
.
15 de Maio - 17h - Pavilhão da Leya

FNAC Colombo 24 Abril

No dia 24 de Abril, pelas 11h, estarei na FNAC Colombo, em Lisboa.

As Histórias do Frik estarão em destaque!

Apareçam!

O livro misterioso e o Pedro...


Queria partilhar convosco esta delícia - o Pedro ganhou coragem e enviou-me este mail. Não podia deixar de responder...! Obrigada, Pedro!


Bom dia!

Chamo-me Pedro, tenho dez anos e ando no 5º ano de escolaridade.

Acabei agorinha mesmo de ler um dos seus fantásticos livros, "O livro misterioso", que me fascinou e despertou desde o início a minha curisosidade! É o livro que vou apresentar na escola, na aula de Língua Portuguesa, no âmbito da Biblioteca de Turma. Como tenho de fazer também uma ficha de leitura, resolvi pesquisar na net sobre a autora. Encontrei o seu site e o mail e resolvi escrever-lhe... Bem, a minha mãe incentivou-me a fazê-lo! Ela disse-me que a senhora é extremamente simpática, que já esteve na escola dela (Escola Básica e Secundária de Maceira) e que certamente me responderia. Vale sempre a pena tentar, não é? Ora, como não a quero maçar muito, só gostaria de fazer-lhe algumas perguntinhas e queria pedir-lhe por favor, se possível, que me respondesse. Ficarei muito, muito feliz!


As perguntas foram estas, e aqui ficam as respostas:


Como surgiu a ideia de uma das "personagens" ser um livro com temperamento, que só se "deixa ler" quando quer ou quando é necessário?

Eu tinha esta história para contar e não sabia bem como. É que, a verdadeira força de uma história, é o "como", como se conta... Uma história boa, mas mal contada, não serve...A ideia surgiu por causa de outro livro, o Será que tudo me acontece por acaso? Nesse livro, a primeira cena passa-se com uma coincidência em que a rapariga, ao fechar o livro que estava a ler, fica às escuras no metro (exactamente o mesmo que estava a ler - pessoas que viviam em subterrâneos e às escuras). Esta coincidência passou-se comigo e eu fiz o livro a partir dela. Mas, quando estava a explicar isto numa turma, houve um rapaz que me perguntou: E não se lembrou de abrir o livro? Talvez as luzes se acendessem...Percebi, com aquela pergunta, que tinha encontrado a melhor forma de contar a história do Livro Misterioso - um livro que se abria e mudava a realidade de quem o lesse. Daí a pô-lo com personalidade foi um passinho...


Onde foi buscar inspiração para escrever este livro?

Sabes? Há coisas que me fazem confusão. Uma delas é isto de nos "colarmos" aos sentimentos de outras pessoas e nos deixarmos levar, ficando às vezes tristes, outras vezes doentes. Era sobre isso que queria falar. Também podemos absorver o bem-estar, a coragem, as coisas boas! Mas temos uma tendência para só "apanhar" o que é mau...! Juntando isso com aquilo que já te disse na pergunta anterior, surgiu então esta história. Mas há um pormenor importante - o meu filho Rui (na altura deveria ter a tua idade) disse um dia, a propósito de uma pessoa de quem gostamos muito, que ela era alguém que "tinha um sorriso por dentro". Isso levou-me a pensar e a escrever. Não era bom podermos todos lutar por ter um sorriso por dentro?


A personagem André existe realmente?

Não, é inventadíssima...


Qual é a verdadeira mensagem que pretende transmitir aos leitores com este seu livro?

Essa é a parte difícil. Eu não quero "impingir" a minha maneira de ver as coisas a quem me lê. Quero só mostrar caminhos. Depois, cada um pensará o que quiser. Aquilo que queria mostrar era que nos podemos manter bem connosco se soubermos aproveitar as boas situações, se soubermos aprender com as más, se pudermos romper com a tristeza, se soubermos entender o que se passa cá dentro.